Fraudes no e-commerce: saiba como evitar o principal motivo de insucesso das lojas virtuais

O e-commerce revolucionou a forma de comprar e vender produtos. Através dele, os consumidores podem pesquisar e comparar preços, adquirir produtos de qualquer tipo, inclusive do exterior, sem precisar sair do conforto de seus lares, utilizando apenas dispositivos conectados à internet. Entretanto, apesar de proporcionar diversas vantagens aos consumidores, como rapidez e praticidade, as lojas virtuais sofrem com um grande problema: as fraudes.

De acordo com o Procon, 1 em cada 3 brasileiros já sofreu algum tipo de golpe virtual nos últimos cinco anos. Isto faz do Brasil o quinto colocado mundial no ranking de fraudes com cartões de crédito. Para diminuir esse tipo de crime, o Procon elaborou o Guia do Comércio Eletrônico e criou uma lista negra com mais de 400 sites que devem ser evitados pelos consumidores.

E pensando nisto, separamos para o post de hoje alguns recursos para você evitar esse tipo de problema. Confira:

Certificação digital

Lojas virtuais confiáveis possuem o Certificado de Segurança Digital ou SSL (Secure Sockets Layer), aquele cadeado fechado que aparece no rodapé da página em domínios com “https://”.

Esses símbolos garantem a autenticidade e confiabilidade dos sites por meio de mecanismos de criptografia, que protegem as informações e privacidade dos usuários, transformando os dados inseridos nas plataformas em códigos de difícil leitura por parte dos fraudadores.

Dispositivos inteligentes

Muitas empresas intermediadoras das transações e, principalmente, os bancos disponibilizam dispositivos antifraude para combater essas ações. São diversas soluções tecnológicas para detectar IPs e analisar os riscos das operações.

Essas ferramentas inteligentes verificam todos os dados inseridos pelos usuários, como o endereço de entrega, tipo de compra, valor da transação, histórico do cliente e o e-mail cadastrado, para reduzir ao máximo as possibilidades de golpe ou o uso de cartões roubados ou clonados.

Quando uma possível fraude é detectada, há a possibilidade de fazer essa checagem de forma manual. A alternativa mais simples e recorrente é ligar para o cliente e confirmar a compra.

Outra medida também adotada é o envio de SMS para os telefones dos proprietários dos cartões de crédito avisando sobre a compra efetuada.

Companhias intermediárias

Como todas as fraudes ocorrem no momento da conclusão da compra, na forma de pagamento do produto ou serviço, muitas empresas, principalmente as de pequeno e médio porte — que contam com um menor aparato tecnológico —, optam por terceirizar essa etapa.

As companhias intermediadoras de negócios ficam responsáveis por essa fase das operações e por proteger os dados envolvidos nas transações. Computadores dedicados que interligam várias redes — os gateways — são equipados com ferramentas de gestão de risco para combater fraudes e facilitar a troca de informações entre as lojas virtuais e as operadoras de crédito.

Apesar da revolução e dos benefícios trazidos pelo e-commerce, as fraudes são um grande problema, sobretudo, para os lojistas e devem receber um cuidado especial durante o planejamento de qualquer loja virtual.

E você, como lida com as fraudes na sua loja virtual? Compartilhe conosco sua opinião e experiência no assunto!


Comentários

Comentários

Equipe iSET

Somos os maiores especialistas em e-commerce no Brasil! Quer começar sua loja virtual? Fale conosco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *