Email Marketing: 7 erros para você corrigir hoje mesmo

O e-mail marketing é uma das ferramentas mais bacanas para manter a comunicação direta com seu público e conquistar um alto retorno. Por meio destes e-mails, é possível fidelizar clientes, enviar ofertas de produtos e serviços, cartões comemorativos e de aniversário e fazer pesquisas de satisfação, entre outras ações, e tudo com um custo muito baixo.

Isso mesmo! Pesquisas sobre marketing digital apontam que o custo de uma companhia que dispara mil e-mails varia de R$ 1 a R$ 10. Por ter tantas funções a um investimento barato, o e-mail marketing é também um dos recursos mais explorados pelas grandes empresas do Brasil e do mundo.

Mas será que você está alcançando os resultados que espera para o seu negócio ao utilizar o e-mail marketing? Para ter um retorno efetivo com esta ferramenta, é preciso ficar de olho em algumas “regrinhas” muito fáceis de serem aplicadas. Conheça aqui sete problemas que ainda assombram o mercado brasileiro de e-mail marketing.

Enviar mensagens sem permissão dos contatos

Você sabe o que é contato opt-in? É o destinatário que realmente quer receber seus e-mails, pois fez um cadastro em sua loja virtual e deu permissão para que seu e-commerce lhe envie e-mails.

Solicitar ao usuário, em qualquer forma de cadastro, se ele deseja receber suas mensagens é a melhor forma de conseguir endereços válidos. A outra forma, adquirindo bases de dados de procedência e qualidade duvidosa, só faz com que sua reputação seja prejudicada nos servidores e diminui as chances de suas mensagens serem entregues na caixa de entrada dos usuários.

Isso porque bases compradas apresentam altas taxas de erros e devolução e seus e-mails acabam caindo direto na pasta de lixo eletrônico. Não é isso que você quer para o seu negócio, certo?

Frequência de envio incorreta

Enviar poucos e-mails não é muito indicado, pois sua base de dados pode acabar esquecendo do seu negócio – a ponto dos clientes não lembrarem nem mesmo o motivo que os levaram a fazer o cadastro em seu site – porém, saturar os destinatários com várias mensagens numa mesma semana só vai fazer com que eles lembrem da sua empresa como “aquela que entope a minha caixa de e-mails”.

Para determinar a frequência, é preciso saber dosar as informações. De que maneira? Fazendo testes de envio e analisando quais foram os dias e horários de picos de acesso. Outra dica é dividir sua base de contatos em diferentes grupos e enviar, para cada um, sua mensagem em dias e horários diferentes.

Não fazer o teste A/B

Dúvidas podem surgir não só na hora de definir a frequência de envio. “Que tipo de assunto funciona melhor?”, “Qual linguagem visual devo utilizar?”.

Para sanar estas questões, faça um teste de divisão A/B. Primeiro, defina o que você quer testar, como o assunto, o layout da mensagem ou tipos de ofertas e promoções. Depois, escolha o que definirá o vencedor: taxas de abertura de e-mails, taxas de cliques ou taxas de conversão.

Após isso, divida aleatoriamente sua lista em dois segmentos iguais e certifique-se que o tamanho da amostra é grande o suficiente para tomar uma decisão estatisticamente válida. Se a lista é muito grande, use apenas 10% do total para o teste, mas se ela é pequena, use toda a lista. O aprendizado que o resultado dos testes ensina muito sobre a melhor forma de se comunicar com a sua base!

Não trabalhar com listas segmentadas

Ao fazer o cadastro dos clientes, você tem a oportunidade de adquirir o contado e outras informações pessoais para enviar posteriormente mensagens segmentadas, tornando mais eficaz sua comunicação.

Por isso, organize diferentes bases de contatos. Assim, você poderá elaborar estratégias direcionadas para diferentes públicos: mulheres economicamente ativas, homens de 20 a 30 anos de idade, tomadores de decisão em empresas, empresários da região nordeste, e assim por diante.

Lembre-se que uma mensagem pode ser ideal para um tipo de público, mas não dar resultados para outro. Saiba mais sobre segmentação de listas neste post!

Não produzir mensagens personalizadas

O e-mail marketing é um contato direto que você tem com os clientes, certo? Então por que não utilizar mensagens personalizadas, constando no cabeçalho o nome de quem está recebendo o e-mail?

Além do nome e sobrenome, use informações demográficas, socioeconômicas e comportamentais para oferecer conteúdos diferentes de acordo com os perfis de seus contatos.

Não otimizar o uso de imagens

Muitas mensagens de e-mail marketing trazem informações em forma de imagens. Por isso é imprescindível o uso de alt tags, que exibem um texto alternativo no lugar das imagens que não são mostradas. Isso porque muitos webmails têm como padrão bloquear a exibição de imagens para proteger o usuário de possíveis conteúdos ofensivos.

Dessa forma, quando o usuário abrir uma mensagem com imagens bloqueadas, ele terá uma prévia do que será exibido e poderá julgar se a mensagem completa é interessante para ele.

Não mensurar os resultados

Mensurar os resultados significa planejar as próximas ações, verificando o que deu certo e o que não deu. Para isso, é preciso saber quantos e-mails foram visualizados, quais links foram clicados e quantas novas visitas sua loja virtual teve provenientes do e-mail.

Quanto mais cuidadosa for esta análise de resultados, mais informações será possível identificar sobre o comportamento dos seus clientes para planejar um próximo envio de acordo com as expectativas dos usuários.

Viu só como os detalhes fazem diferença na hora de mandar um e-mail efetivo? Conheça também as soluções do iMarketing, ferramenta de e-mail marketing da iSET, e coloque estas dicas em prática agora mesmo!


Comentários

Comentários

Equipe iSET

Somos os maiores especialistas em e-commerce no Brasil! Quer começar sua loja virtual? Fale conosco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *