fbpx

Confira 7 práticas na redução de custos em e-commerce

Os empreendedores são constantemente desafiados no dia a dia de uma loja virtual. Sempre surge um entrave aqui, outro contratempo ali — ou seja, imprevistos acontecem o tempo todo. Justamente por isso, eles devem manter sua atenção em assuntos relacionados à otimização dos processos e redução de custos, por exemplo.

É claro que o sistema backoffice, aliado a outras medidas alternativas, agrega muito no fator coordenação das atividades. Sem esse mecanismo, certamente, haveria mais retrabalhos, erros e prejuízos, já que ele é um grande aliado na gestão de áreas como:

  • logística,
  • estoque;
  • compras,
  • planejamento;
  • finanças;
  • relatórios.

Diante disso, pensando em ajudar você com mais opções focadas na redução de custos, separamos algumas soluções que dão bons resultados. Interessado? Então, boa leitura!

1. Avalie todos os gastos

O primeiro passo no processo de redução de custos é avaliar os pormenores de todas as despesas para, então, elaborar planejamentos pontuais nesse sentido. Portanto, verifique o histórico de custos referentes a todas operações.

A partir daí, é possível identificar o impacto desses procedimentos no orçamento, o que é essencial para analisar a possibilidade de reduzi-los ou eliminá-los.

2. Trabalhe com pontos de retirada de produtos

O valor do frete ainda é um dos grandes entraves para os lojistas virtuais. Em muitos casos, o consumidor simplesmente abandona a compra por descobrir que a taxa é maior do que o preço dos produtos no carrinho.

Por isso, além de praticar comunicação transparente, promoções, descontos, ofertas específicas, você também deve incluir opções como o ponto de retirada do produto. Essa, por sinal, é uma ótima medida para aumentar a circulação de pessoas, qualificar o perfil da entrega, gerar experiência diferenciada e vender mais.

O modelo — também conhecido por click & collect ou pick up points — faz o maior sucesso fora do Brasil, pois se baseia na ideia de economia compartilhada. E isso resolve boa parte dos problemas logísticos das lojas virtuais.

3. Transforme fornecedores em parceiros

Nessa pauta de redução de custos, também devemos incluir as parcerias estratégicas. Afinal, isso traz inúmeros benefícios, como maior abertura para negociar valores, agilidade da entrega de insumos e mercadorias, e possibilidade de controlar o estoque a partir do espaço do fornecedor. Enfim, contribui na flexibilização do relacionamento entre empresa e fornecedor.

No último caso, as vantagens são significativas, porque controlar o estoque a partir do espaço do fornecedor reduz, sobremaneira, o investimento em produtos de custo alto e giro baixo, por exemplo.

Você ganha pontos, com isso, em termos de administração e manutenção do estoque, uma vez que o produto só é adquirido depois da compra efetuada no site. É claro que tudo deve ser planejado e conversado, para que as partes sejam beneficiadas igualmente!

4. Considere a troca por uma plataforma mais completa

No início, quando não sabemos ao certo o tipo de plataforma ideal, é muito comum optarmos por aquelas que oferecem mais facilidade e geram menos gastos, correto? Até porque o objetivo é ficarmos livres para administrar outras demandas.

Mas é no dia a dia, com a ocorrência de contratempos, que percebemos se a escolha foi interessante, ou não.

Em outras palavras, se você já percebeu que sua plataforma de e-commerce traz mais dores de cabeça que benefícios, então é hora de pensar em outras alternativas mais completas. Antes de iniciar a implementação, faça um checklist acerca dos itens necessários, levando em conta:

  • segurança;
  • instabilidade;
  • design;
  • usabilidade;
  • cupons de desconto;
  • responsividade;
  • suporte.

5. Invista em marketing digital

Os consumidores de hoje são mais participativos, exigentes e influenciadores, portanto, você não conseguirá atraí-los com as mesmas ferramentas usadas pela mídia tradicional. Aliás, eles nem gostam do fato de terem seus momentos de navegação invadidos, já que são protagonistas na rede e gostam de selecionar as informações que consomem.

Até mesmo os mecanismos de busca trabalham em prol dessa experiência do consumidor valorizando os sites que são mobile friendly, ou seja, que disponibilizam conteúdos relevantes. Em outras palavras, para ganhar visibilidade, reputação e apoiadores da marca é preciso mais do que, simplesmente, ter um site e estar nas redes sociais.

Nesse sentido, o marketing digital tem o poder de colocar a sua loja em posição privilegiada, reduzindo o Custo de Aquisição por Cliente (CAC) e fidelizando clientes. Afinal, as estratégias, a automação de ações (e-mail marketing, remarketing), o inbound marketing e as boas práticas de relacionamento só fortalecem o nome da empresa.

6. Automatize a gestão

Para início de conversa, a automatização dos processos é fundamental para melhorar a produtividade, adequar as ações estratégicas, reduzir os custos e, consequentemente, potencializar as vendas.

Inclusive, muitas empresas já se atentaram na importância dos dados para o sucesso dos negócios. Por isso, elas têm investido cada vez mais nessa área, em prol dos benefícios gerados.

Com os processos automatizados, o gestor, assim como a equipe, fica livre para cuidar de pendências mais urgentes. Por meio de uma tela, ele consegue acompanhar em tempo real as entradas, as saídas, estoque, os relatórios — ou seja, as atividades corriqueiras.

7. Centralize o estoque

Falar de estoque, necessariamente, implica abordar sobre automação, já que essa metodologia, fundamentada a partir das novas tecnologias, é capaz de promover uma gestão mais eficiente. 

Isso quer dizer que o gestor acompanha todos as movimentações e atualizações do site, o que já elimina a execução de atividades manuais, retrabalhos e erros referentes à venda de produtos inexistentes, por exemplo.

Com a gestão integrada, a administração do estoque tende a ser mais flexível, prática e eficiente. Isso porque, além de controlar a entrada e saída de produtos, ele também tem a possibilidade de traçar planos de otimização, principalmente, relacionados aos níveis de produtos armazenados.

Enfim, sabemos que o dia a dia em uma loja virtual é corrido e, dependendo da situação, estressante. São muitos processos para administrar, pedidos para despachar…

Tudo isso gera gastos, e nem sempre é simples cuidar da redução de custos. No entanto, como vimos, a gestão aparelhada de estratégias e ferramentas adequadas é capaz, sim, de gerar melhorias, produtividade, rentabilidade e economia!

E aí, gostou deste artigo? Viu como é possível administrar a loja virtual harmonicamente? Agora, que tal aproveitar para conhecer o que a curva ABC tem a ver com isso?


Comentários

Comentários

Sou gestora do time de Sucesso do Cliente na iSET e meu maior desejo é te ajudar a entender o universo do e-commerce de forma descomplicada!
Post criado 46

2 comentários “Confira 7 práticas na redução de custos em e-commerce

Os comentários estão fechados.

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo